facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Pais vão poder trabalhar a tempo parcial em 2014

parentalidadeFonte do gabinete do ministro Pedro Mota Soares diz ao "Diário de Notícias" que a intenção é que o Estado suporte o salário restante.

O Governo quer que os pais possam vir a trabalhar a tempo parcial para dedicarem mais tempo aos filhos, continuando a receber o salário por inteiro. O projecto está a ser trabalhado e deverá entrar já em vigor em 2014, com o salário remanescente a ser pago pelo Estado.A informação é avançada na edição desta terça-feira do “Diário de Notícias” e é atribuída a fonte do gabinete do ministro Pedro Mota Soares, que tutela a pasta do Emprego e Segurança Social.“Queremos usar verbas europeias para suportar a empregabilidade parcial. Uma mãe ou pai pode vir mais cedo para casa, pode eventualmente vir a trabalhar apenas meio dia que o Estado suporta o restante. Contamos que esta medida esteja totalmente implementada no próximo quadro comunitário” que vigora entre 2014-2020, explicou a fonte do gabinete do ministro ao DN.Não são adiantados pormenores sobre o universo que poderá ser abrangido, os requisitos necessários para poder aceder ao programa, nem a despesa associada a esta medida. Mas o jornal refere que esta é uma medida que pretende responder à sucessiva quebra da natalidade e às crescentes dificuldades que os pais têm em conciliar trabalho e vida familiar. Mercado de trabalho, crise, preço das creches Esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou que no primeiro semestre do ano nasceram 39.913 bebés, menos quatro mil do que no mesmo período de 2012.Um especialista ouvido pela agência Lusa atribui este fenómeno ao desemprego, ao elevado preço das creches e à dificuldade em conciliar carreira e maternidade.José Morgado, coordenador do Departamento de Psicologia de Educação no Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA), diz que o impacto das questões económicas, sobretudo o desemprego jovem, é uma das principais razões para o "fenómeno complexo" do constante abaixamento da natalidade em Portugal.Por um lado, "as pessoas não têm casa, não têm emprego, estão a viver com os pais. Há um lado económico que tem bastante peso", observou o psicólogo à Lusa.Por outro lado, segundo José Morgado, há um estudo que diz que no âmbito da União Europeia as mulheres portuguesas são das que mais gostariam de compatibilizar "maternidade com carreira", mas "o problema é que o acesso à carreira é muito complicado".O preço dos equipamentos e serviços para a primeira infância e pré-escolar é outro entrave: são dos mais caros da Europa, proporcionalmente ao nosso rendimento, diz  José Morgado.Em suma, "toda a conjuntura económica, aliada à falta de confiança no futuro, retira às pessoas a disponibilidade para contrair a responsabilidade da família, de um filho ou de um segundo ou terceiro filho", diz o especialista, que sublinha ainda a fragilidade psicológica e que o actual "caldo de cultura" não é favorável às famílias.

in Jornal de Negócios | 24-09-2013

Também com interesse
Portal das Finanças para entrega de IRS é
O interface do portal das Finanças na Internet para a entrega do Imposto de Rendimentos Singulares (IRS) é "desastroso" para os utilizadores, conclui um estudo desenvolvido por uma empresa tecnológica de Coimbra hoje divulgado.
Fazer um pagamento por multibanco está um pouco mais complicado
Os pagamentos com multibanco estão ligeiramente diferentes. Antes de marcar o código, o consumidor terá de escolher se quer pagar com visa ou multibanco.
Jogo online em Portugal reúne 11 interessados
As concessionárias dos casinos físicos já confirmaram estar na corrida para esta nova modalidade. O Turismo de Portugal confirma 11 candidaturas ao Diário Económico, sem avançar nomes.
Regra de duas saídas para uma entrada nunca foi cumprida
Relação anual entre as saídas definitivas e o novo recrutamento na Administração Pública foi, no máximo, de 1,6 saídas por uma entrada durante os anos da troika. Desde então, começ
Tribunal da Propriedade Intelectual tem mais um juiz, para evitar entupimento
Operacional desde abril de 2012, o Tribunal da Propriedade Intelectual (TPI) cedo entrou em entupimento devido à afluência de processos. Para escoar os casos, o Ministério da Justiça acaba de criar um segundo juízo para o TPI.
Reforçados os incentivos fiscais aos investimentos das empresas
Novo Código Fiscal do Investimento alarga benefícios para os investimentos feitos nas regiões com menor poder de compra.
Ordem aplaude novo regime da formação médica
A Ordem dos Médicos congratulou-se hoje com a publicação do novo regime jurídico da formação médica especializada, documento que o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) afirma poder ter conse
 Fraccionamento da facturação da luz e gás com novas regras
O objectivo é atenuar o impacto nos orçamentos familiares.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro