facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Clique e Receba os nossos Destaques no seu Email.

Subscreva a Newsletter e receba os nossos destaques no seu email.

Noticias

Estado perdoa juros e custas a quem pagar dívidas até 20 de Dezembro

dinheiroRegime excepcional de regularização de dívidas prevê perdão de juros e custas para que contribuintes que paguem dívidas ao fisco e à Segurança Social até 20 de Dezembro.

O novo plano extraordinário regularização de dívidas ao fisco e à Segurança Social prevê o pagamento integral das suas dívidas de natureza fiscal e contributiva até a próximo dia 20 de Dezembro, permitindo que empresas e particulares evitem as consequências da falta de cumprimento, nomeadamente penhoras. Os contribuintes que optarem pelo pagamento total das suas dívidas, já detectadas ou auto denunciadas voluntariamente, serão dispensados de pagar juros de mora pelo atraso no pagamento e juros compensatório, ficando ainda dispensados de pagar custas devidas no processo de contra-ordenação. Já ao nível das coimas contarão com reduções substanciais.

O regime extraordinário de regularização de dívidas ao Estado, que foi hoje aprovado em Conselho de Ministros, prevê condições especiais de juros e de custas processuais e redução das coimas para empresas e particulares.

Em causa está o perdão de custas processuais e juros de mora e compensatórios para os contribuintes incumpridores, à semelhança - nestes últimos dois casos - do regime de 2002 criado pela então ministra das Finanças, Manuel Ferreira Leite.

O novo plano é, porém, mais favorável face ao regime excepcional de 2002 ao conceder três dispensas de pagamento: de juros de mora e compensatórios e também de custas processuais (só nos processos administrativos, não abrangendo processos em tribunais), continuando a prever uma redução de coimas. Recorde-se que Ferreira Leite criou um regime que previa a redução de custas a 1% da quantia exequenda para pagamento em conjunto das dívidas fiscais e contributivas, bem como a redução da coima a 10% do mínimo previsto na lei. A estas condições juntava-se ainda a dispensa de pagamento de juros de mora e compensatórios.

Este plano terá efeitos orçamentais já este ano através de arrecadação de receita fiscal extraordinária que ajudará a atingir a meta do défice de 5,5%.

Com este novo regime, o Executivo pretende ainda aliviar o garrote fiscal, evitando penhoras e aliviando a tesouraria das empresa, que asfixia o tecido empresarial e permitir o acesso a fundos comunitários no novo Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) que irá vigorar entre 2014 e 2020, e vai disponibilizar 21 mil milhões de euros dos quais, cerca de quatro mil milhões desses apoios estão previstos para as PME no eixo da competitividade.

in Económico | 03-10-2013 | Lígia Simões

Também com interesse
Habitação. Mais de 1700 famílias foram despejadas em 2016
Entre março de 2014 e novembro deste ano houve, em média, cinco famílias que foram despejadas. Ao todo foram emitidas 5099 aprovações.
Penhoras. Fisco quer acabar com congelamento de todas as contas
Bancos dizem que cumprem as regras, mas há contribuintes que se queixam de não conseguir movimentar as contas. Problemas surgem sobretudo quando há depósitos em mais do que um banco. Juristas falam em "excesso de zelo"
CITIUS - Execução - Alteração do IBAN
Para além da possibilidade, já existente, de em requerimento executivo ou requerimento para execução de sentença judicial condenatória, serem indicados os dados de identificação de conta banc&aa
Publicado acórdão que abre porta a 35 horas nas autarquias
O acórdão que chumbou a participação do Governo nos acordos coletivos de trabalho nas autarquias, por violar a autonomia do poder local, foi publicado. Câmaras livres para avançar com 35 horas.
Há 5.534 funcionários públicos que querem deixar o Estado
Programas de rescisões amigáveis duram há cinco meses. Metas inicialmente definidas pelo Governo estão longe de serem atingidas. Mais programas podem estar na forja.
O que muda nas pensões
Conheça as regras da nova Contribuição Extraordinária de Solidariedade. O diploma foi hoje publicado em Diário da República.
Os nomes mais populares de 2016: Santiago destrona João num país de Marias
O ano passado, segundo dados do Instituto dos Registos e Notariado, houve mais de 1300 raparigas e um número ligeiramente inferior de rapazes registados com um nome que não foi partilhado por mais ninguém.
Provedor de Justiça denuncia condições na prisão de Vale de Judeus
O provedor de Justiça revelou estar indignado com o estado de degradação das torres de vigia da prisão de Vale de Judeus, em Alcoentre, e diz que "a crise económico-financeira não pode justificar tudo".

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro