facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Independência dos tribunais não deve ser apreciada pelo TC

joana marques vidalA Procuradora Geral da República explicou que entendeu não submeter à fiscalização do TC a matéria referente à independência dos tribunais.

Joana Marques Vidal justificava, desta forma, a decisão de não enviar para o Tribunal Constitucional o pedido de fiscalização sucessiva da constitucionalidade do Orçamento do Estado para 2013 apresentado pelos juízes. A Procuradora alega que a maior parte das questões suscitadas pelos juízes já estava incluída nos pedidos de fiscalização anteriores (Cavaco Silva, oposição e Provedor de Justiça) e que de fora ficou apenas a questão da independência dos tribunais. Os juízes diziam que esta estava em causa com a redução dos salários.

"Quanto à matéria não abrangida, procede de uma compreensão do conceito de "independência" dos tribunais e dos juízes que, apesar do interesse subjacente ao aprofundamento teórico e conceptual da matéria, que importará continuar a debater noutros contextos, se configura como de discutível acolhimento constitucional neste momento e nesta sede", lê-se num comunicado enviado às redacções esta tarde pela PGR.

Joana Marques Vidam faz, contudo, questão de frisar que "o pedido formulado pela ASJP apresenta ponderosos motivos de reflexão sobre o estatuto constitucional da magistratura judicial e da sua relação com o poder político". Mas lembra que "quanto aos aspectos de juridicidade, todas as normas e fundamentos invocados já estão submetidos, quase na íntegra, à apreciação do Tribunal Constitucional, no processo de fiscalização de constitucionalidade sucessiva, abstracta, em curso".

"Por conseguinte, uma vez que os interesses fundamentais do caso já foram aduzidos e serão, por isso, analisados pelo Tribunal Constitucional, não se afigura processualmente útil vir reiterar os mesmos, autonomamente, no processo de fiscalização da constitucionalidade em curso", conclui Joana Marques Vidal.

in Económico | 24-01-2013 | Inês David Bastos

Também com interesse
Marcelo deu ‘ok’ ao fim das acções ao portador
A legislação que termina com os títulos ao portador foi viabilizada pelo Presidente da República e deve ser publicada em breve. Todos os títulos terão de ser convertidos no prazo de seis meses, segundo regras
Cada vez há mais empresas com rastreio de álcool
Protecção de Dados já autorizou controlos em 140 organizações este ano. Umas estão a arrancar programas, outras a legalizar procedimentos.
DECO teme aumento de preços com novo regime de promoções
A DECO teme um aumento de preços por causa do novo regime de práticas comerciais restritivas, que entra em vigor a 25 de fevereiro, e defende a criação urgente de um observatório de preços.
Novo diploma sobre ADSE prevê benefícios a antigos políticos e gestores
O Governo apresentou ao Conselho Geral e de Supervisão, no final do mês passado, a proposta de extensão das admissões na ADSE. O documento em questão estipula o alargamento dos benefícios a políticos, m
Lei da Cópia Privada vai tratar
A Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) criticou hoje a proposta de Lei da Cópia Privada, que deve ir quinta-feira a conselho de ministros, por entender que pode vir a "distorcer e enfraquecer" o mercado dos aparelhos eletrón
Mais de 150 advogados exigem que Ordem devolva valores pagos há 5 anos
Mais de uma centena e meia de advogados avançaram com uma ação em Tribunal contra a Ordem dos Advogados. Reclamam a devolução dos valores que pagaram há 5 anos, quando fizeram o curso de estágio.
Dados das contraordenações rodoviárias vão ser cruzados com os do Fisco
Comissão Nacional de Proteção de Dados autoriza o Governo a partilhar dados entre a administração fiscal e os serviços da Administração Interna e do Planeamento e das Infraestruturas, “par
Consumidores com novos direitos a partir de dia 23
Serviços de resolução alternativa de litígios devem ser "disponibilizados pelas entidades" e são tendencialmente gratuitos para o consumidor.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro