facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Justiça considera ilícito controlo de trabalhadora por toques de telemóvel

O Tribunal da Relação do Porto considerou ilícito o despedimento de uma trabalhadora de uma associação que não cumpriu uma ordem para dar "um toque" para o telemóvel do presidente da direção à entrada e à saída do trabalho.

tribunal

Noticia completa aqui.

in Jornal de Noticias | 17-08-2017

 

Também com interesse
Dez mil proprietários notificados pela GNR para limpar terrenos
Mais de 10 mil proprietários foram notificados pela GNR para limpar terrenos que representam perigo em caso de incêndio.
Maioria não quer seguradoras a discriminar sexos
Um projeto de lei do PSD e CDS visa aplicar na legislação o teor de um acórdão que considerava que as seguradoras não poderiam aplicar diferentes prémios a homens e mulheres, em função do género.
Nova proposta sobre subvenções parlamentares pode ser ilegal
Projecto de lei subscrito por todos os partidos atribui fiscalização das contas das bancadas ao Tribunal Constitucional.
Guias de transporte Novo regime de circulação de mercadorias entra hoje em vigor
As autoridades podem aplicar coimas e apreender mercadorias aos incumpridores que a partir de hoje não apresentem a comunicação eletrónica das guias de transporte de mercadorias.
Provedor de Justiça recomenda à PSP melhores condições de detenção nas esquadras
O Provedor de Justiça, José de Faria Costa, fez esta segunda-feira várias recomendações ao diretor nacional da PSP para melhorar as condições de detenção nas esquadras, na sequência
Diretiva sobre tradução obrigatória nos tribunais em vigor
Os tribunais dos estados membros da União Europeia (UE) são obrigados a ter serviços de tradução no idioma dos acusados durante todas as fases do processo judicial, segundo uma diretiva europeia que entra hoje em vigor.
Finanças lançam cartão para facilitar pedido de factura com número de contribuinte
Contribuintes com acesso online ao portal das Finanças já podem consultar crédito fiscal a que têm direito.
Estado vai pagar 5,5% de juros de mora por dívidas em atraso
O Governo fixou hoje em 5,535% a taxa dos juros de mora a pagar este ano pelo Estado por dívidas em atraso, segundo um aviso publicado no Diário da República.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro