facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Novo Código Administrativo "é um combate claro à burocracia"

paulateixeiracruzA ministra da Justiça sublinhou hoje que a revisão do Código de Processo Administrativo (CPA), em debate público até finais de julho, "é um combate claro à burocracia" e vincou que a simplificação de procedimentos "aproxima os cidadãos".

"Não faz nenhum sentido que o cidadão seja empurrado de balcão em balcão com decisões contraditórias. Quando há um órgão que tem de decidir, embora essa decisão tenha de ser objeto de vários pareceres de outros órgãos, é esse outro órgão que tem que reunir tudo", referiu Paula Teixeira da Cruz, no final da sessão de apresentação do projeto de revisão do CPA, no Centro de Estudos Judiciários.

Paula Teixeira da Cruz considerou que o projeto de revisão do CPA "é uma viragem importante", que vai permitir acabar com "as situações de desespero, desde os casos mais simples aos mais complexos".

A governante reforçou que "o projeto é também um processo inequívoco de simplificação de procedimentos" e acentuou que "a administração pública torna-se mais escrutinável".

Paula Teixeira da Cruz referiu que "as garantias de imparcialidade e isenção da Administração são reforçadas" e frisou que o novo CPA consagra "uma Administração que, em obediência à lei e ao Direito, tem de ser cada vez mais justa, aberta, séria, transparente, participada e amiga do cidadão".

Em alusão às PPP (Parcerias Público Privadas), um dia depois de comissão parlamentar ter denunciado gestão danosa para o Estado, a ministra da Justiça garantiu que a nova lei básica sobre a atividade administrativa no país reforça "o dever de boa administração".

Paula Teixeira da Cruz afirmou que o projeto de CPA, em debate desde 14 de maio, "vem ajudar a clarificar juridicamente em muito" a matéria, que, presentemente, já tem um regime sancionatório.

A governante, que considerou imperiosa a revisão do CPA, fez ainda referência aos "casos de nulidade" que a proposta de revisão consagra, exemplificando com "os subsídios comunitários".

"[Com este novo CPA], terminam aquelas situações em que aqueles que conheciam as teias da lei, não se aproveitem delas", disse, referindo também que "aqueles que beneficiam do passar do tempo, consolidando-se as ilegalidades, deixam de beneficiar dessa forma, que são, normalmente, quem tem mais meios e tempo para se defender".

Paula Teixeira da Cruz salientou que era imperioso rever o CPA, introduzido em 1991 e com uma revisão pouco aprofundada em 1997, adaptando o novo código à realidade atual.

A comissão encarregada de rever o CPA está ainda a elaborar o Estatuto dos Tribunais Administrativos e Fiscais e o Código de Processo nos Tribunais Administrativos.

in Noticias ao Minuto | 19-06-2013

Também com interesse
Multas por falta de cinto de segurança aumentaram 26% em 2015
As multas por falta de cinto de segurança aumentaram 26 por cento em 2015 em relação a 2014, tendo a GNR registado cerca de 32.000 infrações por falta deste dispositivo no ano passado, indicou hoje a corpora&ccedi
Contratos de crédito à habitação caíram 60% em 2012
O número de depósitos aumentou em 2012 e no primeiro trimestre de 2013, revelam os dados do Banco de Portugal.
IUC será pago pelo titular do registo automóvel e não pelo proprietário
Imposto passará a ser devido por quem estiver inscrito no registo automóvel. Na lei em vigor, está definido que o IUC é pago pelo proprietário do carro.
Testamento vital: Registo nacional arranca em julho
Quase ano e meio depois do previsto, o Governo regulamentou hoje a lei publicada em julho de 2012.
Vinte tribunais extintos com a reforma do mapa judiciário reabrem portas esta segunda-feira
Os 20 tribunais extintos pela reforma do mapa judiciário de 2014 vão reabrir as portas depois de o Governo ter conseguido aprovar a reativação dos mesmos.
Fisco vai cobrar multas nos transportes públicos
A Administração Tributária e Aduaneira (AT) vai passar a cobrar as multas nos transportes públicos ficando com 35% da receita que conseguir cobrar, segundo a proposta de Orçamento do Estado para 2014 entregue terça-feira no parlamento.
 Contratações no Estado apertam mas Crato mantém concurso para professores
São vários os ministérios que têm previstos concursos para a entrada de pessoal nos quadros.
Governo quer privados a colocar desempregados
Projectos-piloto arrancam em Lisboa e Porto no primeiro semestre, com intervenção de empresas de colocação de recursos humanos.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro