facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Meio de pagamento de pensões: o que vai mudar?

A Segurança Social quer simplificar o pagamento de pensões. Quem receba pensões por vários meios terá 60 dias para dizer o que preferem. Se não responderem, o pagamento será feito por transferência bancária, sempre que esta já seja a forma de pagamento de uma das pensões.

seguranca social 2

Noticia completa aqui.

in Jornal de Negócios | 02-08-2017

 

Também com interesse
Novas regras europeias para pagamentos electrónicos entram hoje em vigor
A legislação que implementa transformações na forma como os pagamentos electrónicos são processados na Europa entram hoje em vigor, apesar de a Comissão Europeia ter alargado recentemente o prazo para a sua implementação total por mais seis
Segurança Social recusa 34% dos pedidos de reforma antecipada
Desde o início do ano, chegaram 4335 pedidos aos serviços. Um terço foi rejeitado por não respeitar requisitos.
Reposição do subsídio de férias publicado em Diário da República
Dois dias depois do crivo de Belém, a lei do subsídio de férias foi publicada em Diário da República.
Novo Código da Estrada incluído nos exames teóricos um mês após a entrada em vigor
O presidente da ANIECA referiu que as mais de 60 alterações ao Código da Estrada, que entraram em vigor a 1 de Janeiro, só vão estar incluídas nos exames teóricos a partir de segunda-feira.
Segurança Social reduz penhoras dos trabalhadores independentes
A medida, que visa impedir a penhora de dois terços do ordenado, aplica-se aos trabalhadores independentes que prestem serviços apenas a uma única entidade contratante.
Vales de refeição beneficiam empresas e funcionários
Nova tributação no subsídio de alimentação permite aumentar o rendimento disponível dos funcionários.
Programas de apoio ao emprego em risco
Suspensão de todos os programas visa poupar nas despesas, mas para os que dependem de financiamento comunitário o futuro pode estar em causa.
Isenção de comissões na renegociação abrange crédito ao consumo
Regulador sublinha que as instituições podem cobrar aos clientes despesas não imputadas aos bancos, como custos com registos e notariado ou encargos com impostos.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro