facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

'Phishing': Desemprego está a transformar vítimas em cúmplices

cibercrimeO desemprego e o desespero em resultado da crise estão a consolidar uma forma de fraude informática que desde 2009 registou um ‘boom’ em Portugal, disse à Lusa um responsável pela investigação criminal da Polícia Judiciária.

A fraude chama-se ‘phishing’ e consiste em obter dados pessoais sobretudo para aceder a contas bancárias e fazer branqueamento de dinheiro.

“Podemos identificar um ‘boom’ de situações de ‘phishing’ entre 2009 e 2011”, admitiu o responsável pela Secção Central de Investigação da Criminalidade de Alta Tecnologia (SCICAT) da PJ, Carlos Cabreiro.

Só no ano passado, o aumento registado deste tipo de crime ascendeu aos 20% em relação a 2011, referiu, adiantando que apenas na área de Lisboa houve 800 inquéritos que representam um prejuízo de quase um milhão de euros.

A ‘pesca’ de dados pessoais é feita, em muitos casos, através de ofertas de emprego a que as pessoas respondem dando dados pessoais.

“É um dos ‘modus operandis’ que existe e baseia-se na mensagem ilusória de [oferta de] emprego, levando as pessoas a fornecer dados pessoais que não deviam ser, em nenhum momento, fornecidos a terceiros”, explicou Carlos Cabreira.

“As pessoas são usadas para se disponibilizarem a receber fundos e a participarem na execução do crime”, explicou, alertando para a inexistência de “lucro fácil”.

Uma outra fonte policial, que preferiu não ser identificada, contou à Lusa que os emails com ofertas de trabalho são enviados normalmente em inglês e pedem, em troca, dados pessoais e o número de identificação bancária.

“As pessoas querem trabalhar, estão desesperadas, dão o NIB, mandam cópias dos Bilhetes de Identidade e outros dados e acabam, muitas vezes, por transformar-se em ‘mulas’”, disse o investigador, explicando que as ‘mulas’ é um termo para nomear quem recebe nas suas contas o dinheiro depositado pelos piratas e depois o transferem, normalmente através da Western Union.

E se, na maior parte dos casos, estas ‘mulas’ estão conscientes do crime, actualmente cresce o número de pessoas que não sabem que estão a contribuir para este esquema, refere a mesma fonte.

“Há muitas situações em que as pessoas não fazem a mínima ideia do que estão a fazer e é por isso que são consideradas apenas como vítimas e testemunhas”, disse, explicando que recebem emails dos supostos empregadores a informá-las que vão receber, por exemplo, 10 mil euros nas suas contas.

“Dizem-lhes para levantar esse dinheiro e mandar para uma morada, em nome de pessoas como Erica Gorbatchev ou outros inacreditáveis”, contou.

Os piratas informáticos que operam em Portugal provêm sobretudo de duas regiões do mundo, afirmou Carlos Cabreiro: o Brasil, para aproveitar a facilidade da língua, e os países da Europa de Leste e Rússia, para onde são transferidos os fundos.

in SOl | 03-02-2013

Também com interesse
Proteção de Dados aprovou 'google das polícias'
Os investigadores vão ter acesso aos dados de todas as forças de segurança. A partilha de informação, de forma automática, pelas forças e serviços de segurança, está em vias de se tornar uma realidade, mas o controlo do acesso terá de ser
Estado perde 25 milhões: há cada vez menos pessoas a recorrer aos tribunais
Bloqueio do sistema informático, aumento do apoio judiciário e desistência em ir a julgamento explicam redução da receita.
Criar um negócio em Portugal é mais fácil do que nos Estados Unidos
Portugal sobe várias posições no índice de competitividade do Banco Mundial e é já o 10º melhor país para criar uma empresa. Organismo sublinha a importância das reformas levadas a cabo pelo país.
Unidos de facto vão poder decidir nas conservatórias quem fica com o filho
O PS apresentou esta semana na Assembleia da República um projecto de lei que visa alargar a agilização das responsabilidades parentais a pais não casados, como já acontece com os pais casados divorciados por m&ua
Funcionários públicos com netos e filhos até aos 12 anos já podem trabalhar em part-time
Avós com netos menores de 12 anos e trabalhadores com filhos até essa idade ou com deficiência ou doença crónica já podem pedir ao empregador para trabalhar "meia jornada", recebendo 60% do salário, seg
Provedor de Justiça confronta Fisco com controvérsias das rendas
José de Faria Costa quer saber por que razão não podem os inquilinos pedir a revisão do valor patrimonial tributário dos imóveis.
Cavaco hesita em promulgar diploma dos suplementos
Já passaram 40 dias para a promulgação ou veto do diploma dos suplementos e a decisão por parte de Cavaco Silva ainda não foi tomada, apurou o Jornal de Negócios. Este diploma poderá sofrer algumas alterações.
Segurança Social reconhece isenção a recibos verdes que já descontam para a CGA
O Instituto de Segurança Social (ISS) deu orientações a todos os centros distritais para que isentem de descontos os trabalhadores independentes que têm outra actividade permanente e efectuam descontos para a Caixa Geral de Aposentações (CGA).

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro