facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Clique e Receba os nossos Destaques no seu Email.

Subscreva a Newsletter e receba os nossos destaques no seu email.

Noticias

Deco chumba centros de inspecção automóvel

carros autoestradaAssociação do sector acredita que centros de inspeção sejam rigorosos.

A Deco acusou 30 centros de inspeção automóvel de pôr em risco a segurança rodoviária, já que não detetaram vários problemas em viaturas preparadas de propósito, que a associação levou à inspeção.A acusação é publicada na edição de novembro da revista da Deco, a Proteste, na sequência de uma ação de verificação do rigor dos Centros de Inspeção Obrigatória que levou a Deco a visitar, de modo anónimo, 30 unidades de inspeção de veículos.O presidente da Associação Nacional de Centros de Inspeção (ANCIA) disse hoje acreditar que as entidades de inspeção são rigorosas, apesar de acusações contrárias feitas pela Deco, e sublinhou que a fiscalização compete ao Instituto dos Transportes.“O sistema de inspeções de veículos em Portugal está a funcionar e contribui decisivamente para a segurança rodoviária ao assegurar que os veículos se encontram em condições para circular na via pública”, afirmou Fernando Teixeira, em declarações à agência Lusa.Garantindo acreditar que os centros de inspeção “exercem a atividade de forma rigorosa e sempre com o objetivo de prestar um serviço de maior qualidade ao utente”, o presidente da ANCIA admitiu desconhecer os pormenores do estudo feito pela associação de Defesa dos Consumidores, mas criticou eventuais incumprimentos.“A ANCIA, enquanto associação do setor, sempre censurou e continuará a censurar todos e quaisquer atos que possam colocar em causa o cumprimento da legislação em vigor e da segurança rodoviária”, admitiu.No entanto, referiu Fernando Teixeira, “os centros de inspeção são entidades acreditadas pelo Instituto Português de Acreditação” e cuja fiscalização “compete ao IMT [Instituto da Mobilidade Terrestre]”.Competência que, segundo assegurou, tem sido exercida “através de ações de fiscalização que efetua com frequência aos centros de inspeção”.

in ionline | 24-10-2013

Também com interesse
É funcionário público? Corte nos salários volta amanhã
A lei com os cortes temporários nos salários dos funcionários públicos entra em vigor este sábado. Grande parte dos salários já foi processado, mas novo corte afeta metade do mês.
 Juízes podem receber subsídio de exclusividade
Os juízes vão ganhar um subsídio de exclusividade. É esse o caminho apontado na proposta para o novo estatuto dos magistrados judiciais que será aprovado em breve, em Conselho de Ministros. Cai assim por terra a ideia inicial de blindar os salá
 Finanças começam hoje a emitir prova de carência aos inquilinos
Rendas já podem ser actualizadas. Inquilinos terão de pagar as rendas actualizadas com retroactivos.
Comunhão de adquiridos: o que cônjuge compre com dinheiro dele é só dele
O Supremo Tribunal de Justiça decidiu que podem ser bens próprios de um dos cônjuges, as aquisições efetuadas em regime de comunhão de adquiridos, caso se prove que o dinheiro utilizado pertencia exclusivament
Governo convoca parceiros para discutir Fundo de Garantia Salarial
O Governo convocou hoje os parceiros sociais para uma reunião em sede de Concertação Social na próxima terça-feira, 02 de dezembro, para discutir o Fundo de Garantia Salarial.
Protesto contra o novo mapa judicial
Os advogados, os autarcas e os funcionários judiciais vão juntar-se hoje em Lisboa contra o novo mapa judiciário. Hoje é o primeiro dia das férias judiciais e o último dia da vida de 20 tribunais.
Só 2% das denúncias de lavagem de dinheiro resultam num inquérito
Comunicações da banca e financeiras têm aumentado, mas muitas continuam a ser arquivadas. Em 2012, das mais de 2.270 denúncias apenas 51 deram lugar a processo crime.
Contratos deixam de poder ser celebrados por telefone
Os contratos deixam de poder ser efectivados por telefone, passando a ser obrigatória a assinatura do consumidor ou o envio do consentimento informado.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro