facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Magistrados passam a ser responsáveis por atrasos

min justicaReduzir o tempo das decisões, aumentar funcionários e criar transportes gratuitos para deslocações a tribunais são os objetivos que o Ministério Justiça quer ver cumpridos até 2018.

Noticia completa aqui.

in Noticias ao Minuto | 28-07-2015

Também com interesse
Bancos iniciaram 365 mil novos processos por incumprimento de crédito
Processos aumentaram 5% no primeiro semestre. Banco de Portugal recebeu 6602 reclamações, menos 7% face ao período homólogo.
Provedor recomenda melhores condições de detenção em tribunais e instalações policiais
Recomendações foram dirigidas à secretária de Estado Adjunta e da Justiça e as restantes ao comandante do Comando Distrital de Santarém da PSP.
Mapa judiciário entra em vigor em Setembro mas com soluções provisórias
Contagem decrescente para a entrada em funcionamento da reorganização dos tribunais, agendada para 1 de Setembro. Tutela garante não ter “informação sobre anomalias ou atrasos graves” que obrigue a adiar.
Número de empresas insolventes em Portugal aumentou 5%
O número de empresas insolventes em Portugal aumentou 5% no primeiro semestre de 2015 face ao período homólogo de 2014, num total de 2918, segundo números conhecidos esta terça-feira.
Ministra da Justiça reconhece má influência das condições de trabalho na capacidade de resposta do setor
A ministra da Justiça afirmou que as más condições de trabalho dos serviços influenciam a capacidade de resposta e projetam para o exterior uma imagem de "dificuldade de regeneração" do setor.
Comunicações: número de reclamações baixou em 2015
A Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) recebeu 54.710 reclamações em 2015, o que representa uma descida de 17,3% em relação ao ano anterior.
Governo convida funcionários públicos a trabalharem a tempo parcial
O Governo decidiu criar um regime especial de trabalho a tempo parcial para os funcionários públicos. A proposta consta de uma versão da proposta do OE a que o PÚBLICO teve acesso.
Multa máxima para lares que funcionam ilegalmente sobe para 40 mil euros
"Os montantes de coimas em vigor não dissuadiam repetidas infracções, em particular nas estruturas residenciais para pessoas idosas", sublinha o ministério da Segurança Social, que quadruplicou valor da multa máxima para quem funciona sem licen

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro