facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Regras para integrar PSI-20 mudam em 2014

empresasA questão que tem maior peso na escolha das empresas que ascendem ao PSI-20 é, actualmente, o valor negociado em bolsa, o que a partir de Março de 2014 será alterado. Além disso, as empresas precisam de cumprir outros critérios. O PSI-20 poderá passar a ser constituído por 18 cotadas caso as empresas não cumpram os requisitos.

A NYSE Euronext decidiu alterar as regras usadas para seleccionar as cotadas que ascendem ao principal índice da bolsa nacional. Assim, o critério mais relevante actualmente, que é o valor negociado em bolsa, deixa de ser considerado e é substituído pela “capitalização bolsista efectivamente dispersa, isto é, ajustada pelo free float”, explica a empresa em comunicado.

Mas não é apenas esta alteração que será implementada. A NYSE Euronext definiu ainda que as cotadas que queiram ascender ao PSI-20 deverão cumprir mais dois requisitos: no mínimo terem 100 milhões de euros de capitalização bolsista efectivamente dispersa e, no mínimo, 15% de dispersão do capital.

O comunicado explica que poderá acontecer não haver 20 cotadas que respeitem as novas regras, pelo que o principal índice da bolsa nacional poderá deixar de ser composto por 20 empresas. Ainda assim, a NYSE Euronext explica que “o índice PSI 20 terá sempre, pelo menos, 18 constituintes.”

Para que isto seja possível, admite que sejam “incluídas empresas com uma capitalização bolsista efectivamente dispersa inferior a 100 milhões de euros.”

Mas as mudanças não terminam aqui. As novas regras definem alterações também para o limite mínimo de liquidez, que actualmente se encontra em 10% de “velocity” e que passa para “25% de ‘free float velocity’. O ‘free float velocity’ consiste no quociente do número de acções negociado pelo número de acções efectivamente dispersas”, explica a mesma fonte.

O peso máximo de uma cotada no PSI-20 também sofre alterações passando dos actuais 15% para 12%.

“As alterações referidas terão a sua primeira aplicação na revisão anual do PSI-20, em Março de 2014. Os detalhes completos das novas regras serão divulgados através de anúncio específico, de acordo com os procedimentos definidos”, adianta o comunicado emitido esta quinta-feira.

in Jornal de Negócios | 29-08-2013

Também com interesse
Em jeito de crítica ao Governo, Filipa Calvão, presidente da Comissão Nacional da Proteção de Dados, comentou a posição do Governo em algumas matérias.
Estão a nascer três empresas por cada uma que morre
No primeiro trimestre deste ano nasceram 10 618 novas empresas enquanto encerraram 3563 negócios. Isto significa que estão a nascer três empresas por cada uma que morre em Portugal, revela o Barómetro da D&B, hoje divulgado.
Diploma sobre
Entra em vigor o diploma que estabelece as regras e os deveres de transparência em campanhas de publicidade institucional, estando assegurado que RTP, RDP e Lusa poderão realizar as mesmas, apesar de serem órgãos detidos ma
Saiba tudo o que muda hoje nos tribunais
Simplificar e desformalizar os processos cíveis é o objectivo do Governo.
Governo quer arranque da Justiça em Janeiro para avaliar o sector a nível europeu
Projecto de diploma que corrige o mapa judiciário do anterior Governo volta a fazer coincidir o ano judicial com o ano civil. Juízes elogiam medida e dizem que só assim será possível avaliar a Justiça antes
Alteração à lei do arrendamento apoiado não anula dívidas anteriores
Associações de habitação social afirmaram hoje à Lusa que as recentes alterações ao arrendamento apoiado são positivas, mas sublinharam que fica ainda por resolver o problema das dívida
Inquilinos começam a receber certidões de carência económica a partir de 2ª-feira
Os serviços das finanças vão emitir, a partir de segunda-feira, as certidões do rendimento anual bruto corrigido (RABC), que fixam limites nas rendas de casas, na sequência da publicação esta semana da portaria correspondente, informou a tutel
Maioria de esquerda aprova “congelamento” da atualização de rendas urbanas
PS, BE, PCP, PEV e o deputado único do PAN aprovaram na generalidade o projeto de lei dos comunistas para prolongar de cinco para 10 anos o período de transição para atualização das rendas urbanas.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro