facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Regras para integrar PSI-20 mudam em 2014

empresasA questão que tem maior peso na escolha das empresas que ascendem ao PSI-20 é, actualmente, o valor negociado em bolsa, o que a partir de Março de 2014 será alterado. Além disso, as empresas precisam de cumprir outros critérios. O PSI-20 poderá passar a ser constituído por 18 cotadas caso as empresas não cumpram os requisitos.

A NYSE Euronext decidiu alterar as regras usadas para seleccionar as cotadas que ascendem ao principal índice da bolsa nacional. Assim, o critério mais relevante actualmente, que é o valor negociado em bolsa, deixa de ser considerado e é substituído pela “capitalização bolsista efectivamente dispersa, isto é, ajustada pelo free float”, explica a empresa em comunicado.

Mas não é apenas esta alteração que será implementada. A NYSE Euronext definiu ainda que as cotadas que queiram ascender ao PSI-20 deverão cumprir mais dois requisitos: no mínimo terem 100 milhões de euros de capitalização bolsista efectivamente dispersa e, no mínimo, 15% de dispersão do capital.

O comunicado explica que poderá acontecer não haver 20 cotadas que respeitem as novas regras, pelo que o principal índice da bolsa nacional poderá deixar de ser composto por 20 empresas. Ainda assim, a NYSE Euronext explica que “o índice PSI 20 terá sempre, pelo menos, 18 constituintes.”

Para que isto seja possível, admite que sejam “incluídas empresas com uma capitalização bolsista efectivamente dispersa inferior a 100 milhões de euros.”

Mas as mudanças não terminam aqui. As novas regras definem alterações também para o limite mínimo de liquidez, que actualmente se encontra em 10% de “velocity” e que passa para “25% de ‘free float velocity’. O ‘free float velocity’ consiste no quociente do número de acções negociado pelo número de acções efectivamente dispersas”, explica a mesma fonte.

O peso máximo de uma cotada no PSI-20 também sofre alterações passando dos actuais 15% para 12%.

“As alterações referidas terão a sua primeira aplicação na revisão anual do PSI-20, em Março de 2014. Os detalhes completos das novas regras serão divulgados através de anúncio específico, de acordo com os procedimentos definidos”, adianta o comunicado emitido esta quinta-feira.

in Jornal de Negócios | 29-08-2013

Também com interesse
Agenda Fiscal para maio 2017
Conheça aqui as datas de cumprimento das suas obrigações fiscais no mês de maio de 2017, constantes do Portal das Finanças.
Estado arrecadou 76 milhões em multas por infracções rodoviárias
Ministro da Administração Interna revelou ainda que, no ano passado, registaram-se 1,3 milhões de autos de infracção rodoviária, "o que significa uma quebra de 14% face a 2012".
 Número de casos de alienação parental está a aumentar
Não se sabe ao certo quantos casos existem em Portugal, mas há dados que apontam para um aumento do fenómeno em que um dos progenitores condiciona ou impede o relacionamento dos filhos com o outro cônjuge.
Guilherme Figueiredo: candidato a bastonário dos advogados
Guilherme Figueiredo confirmou ao DN: vai voltar a ser candidato a bastonário da Ordem dos Advogados (OA), "independentemente de quem sejam os restantes candidatos". 
Alterações ao Código de Processo Penal hoje em Conselho de Ministros
O Governo leva hoje a Conselho de Ministros uma proposta que contempla cinco alterações ao Código de Processo Penal, incluindo o alargamento da gravação da audiência a todos os atos, designadamente requerimentos e despachos.
Governo promete mais benefícios fiscais a quem reabilitar para arrendar
O Executivo está a estudar uma revisão dos benefícios fiscais destinados aos proprietários que façam reabilitação urbana destinada ao arrendamento, avança hoje o Diário Económico
Antecipar reforma pode custar até 72% aos pensionistas
Trabalhadores que cumpram regras terão razões fortes para continuar a trabalhar até à idade exigida. Perdas de rendimento serão ainda mais graves devido ao fator de sustentabilidade.
Governo redefine critérios para justificar despedimentos
Habilitações académicas e profissionais, experiência profissional, custo do trabalhador para empresa, antiguidade e situação económica e familiar são os critérios em causa.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro