facebookrssyoutubetwitter

INFOJUS

LEGISLAÇÃO

ÚTIL

Noticias

Regras para integrar PSI-20 mudam em 2014

empresasA questão que tem maior peso na escolha das empresas que ascendem ao PSI-20 é, actualmente, o valor negociado em bolsa, o que a partir de Março de 2014 será alterado. Além disso, as empresas precisam de cumprir outros critérios. O PSI-20 poderá passar a ser constituído por 18 cotadas caso as empresas não cumpram os requisitos.

A NYSE Euronext decidiu alterar as regras usadas para seleccionar as cotadas que ascendem ao principal índice da bolsa nacional. Assim, o critério mais relevante actualmente, que é o valor negociado em bolsa, deixa de ser considerado e é substituído pela “capitalização bolsista efectivamente dispersa, isto é, ajustada pelo free float”, explica a empresa em comunicado.

Mas não é apenas esta alteração que será implementada. A NYSE Euronext definiu ainda que as cotadas que queiram ascender ao PSI-20 deverão cumprir mais dois requisitos: no mínimo terem 100 milhões de euros de capitalização bolsista efectivamente dispersa e, no mínimo, 15% de dispersão do capital.

O comunicado explica que poderá acontecer não haver 20 cotadas que respeitem as novas regras, pelo que o principal índice da bolsa nacional poderá deixar de ser composto por 20 empresas. Ainda assim, a NYSE Euronext explica que “o índice PSI 20 terá sempre, pelo menos, 18 constituintes.”

Para que isto seja possível, admite que sejam “incluídas empresas com uma capitalização bolsista efectivamente dispersa inferior a 100 milhões de euros.”

Mas as mudanças não terminam aqui. As novas regras definem alterações também para o limite mínimo de liquidez, que actualmente se encontra em 10% de “velocity” e que passa para “25% de ‘free float velocity’. O ‘free float velocity’ consiste no quociente do número de acções negociado pelo número de acções efectivamente dispersas”, explica a mesma fonte.

O peso máximo de uma cotada no PSI-20 também sofre alterações passando dos actuais 15% para 12%.

“As alterações referidas terão a sua primeira aplicação na revisão anual do PSI-20, em Março de 2014. Os detalhes completos das novas regras serão divulgados através de anúncio específico, de acordo com os procedimentos definidos”, adianta o comunicado emitido esta quinta-feira.

in Jornal de Negócios | 29-08-2013

Também com interesse
OTOC:
O bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) considerou esta quinta-feira que o "controlo excessivo" do Governo nas facturas do IRS vai fazer de 2015 um ano "muito confuso" para os sujeitos passivos.
Há pais obrigados a tirar licença de parentalidade sem receber um tostão
As licenças de parentalidade após o nascimento dos filhos são obrigatórias, mas a Segurança Social nem sempre as subsidia, porque os pais não descontaram tempo suficiente. Por outro lado, as entidades emprega
Sindicato diz que adesão à greve dos procuradores ronda os 90%
O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) avança em comunicado que a adesão à greve dos procuradores nesta segunda-feira “ronda os 90%”.
Redução da TSU para empresas que paguem salário mínimo publicada hoje
A redução da Taxa Social Única (TSU) em 0,75 pontos percentuais para empresas que paguem o salário mínimo foi hoje publicada em Diário da República e vigorará entre novembro deste ano e janeiro de 2016.
Mais de seis mil trabalhadores beneficiam das novas regras de fundo de garantia salarial
As novas regras de acesso ao Fundo de Garantia Salarial (FGS), em vigor desde Maio de 2015, permitiram a 6415 trabalhadores receber mais de 12 milhões de euros de salários em atraso e que já tinham perdido a esperanç
Ministra admite introduzir figura do Defensor Público
A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, disse hoje que Portugal tem discutir a introdução da figura do Defensor Público, existente em vários países de língua oficial portuguesa, modelo que diz não pretender substituir os advogados ofic
Condições de voto dos portugueses no estrangeiro pioraram
As condições de voto dos portugueses residentes no estrangeiro têm piorado nos últimos anos, afirmou na terça-feira o politólogo André Freire, que defendeu uma modernização do sistema e a
Sindicato dos Funcionários Judiciais alerta que Citius continua com “falhas graves”
Ao contrário da informação divulgada, o sistema Citius continua a registar "falhas graves" que continuam a "afetar gravemente o funcionamento" dos tribunais no país.

collex debates discursos lexpoint vida economicaupt parceiro